Passo 3 – Autoavaliação

“O tempo é o senhor da razão”.
“Depois de todas as análises feitas, as nossas avaliações devem conter algumas perguntas:
Que nota me dou?
Qual o valor penso que tenho?
Posso compreender o porquê dessa minha conduta?
Tenho conhecimento de todas as variáveis envolvidas?
Como avaliaria essa conduta se fosse outra pessoa, por exemplo, se fosse o meu melhor amigo?
Eu me julgo seguindo os parâmetros de quem?
Os meus ou os de outra pessoa?

Muitas vezes reprovamos uma conduta não porque a condenamos, mas porque contrariam nossos pais, amigos, professores ou líderes religiosos.

Precisamos entender que todas as nossas ações buscam satisfazer necessidades, mesmo    que com algumas delas estejamos nos autodestruindo. A verdade é que por detrás de cada comportamento há uma busca desesperada pela sobrevivência, ou pela satisfação de uma necessidade física, emocional ou espiritual.” (Diná P.O.L.Aguiar, p.44)

“Há muito tempo atrás aprendi com Cecil Osborne em “A Arte de compreender a si mesmo”,   que não estamos preparados para julgar a ninguém, nem a nós mesmos; pois muitas são as variáveis que intervêm em nosso comportamento. Nós só podemos ver o aqui e o agora. Somente Deus tem uma visão tão ampla, capaz de ver o passado, o presente e também o futuro. Por isso Jesus nos manda: “Não julgueis”. (Mateus 7.1)

Ao fazermos nossa autoavaliação, que a façamos sem julgamento e com misericórdia.”    (Vitória no Sofrimento, Diná P.O.L.Aguiar, p.45)

Club Mindset do Relacionamento – um espaço para a construção de Mindset, Auto Estima e Relacionamento.

 

Compartilhe!

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *