Passo 4 – Autoaceitação
“Não podemos dar o que não possuímos. Somente quando aceitamos a nós mesmos    podemos nos tornar verdadeiramente abnegado e desprendidos de nós mesmos.”                          – Herman Herse

“Na construção da autoestima, o quarto passo é a autoaceitação, que é um passo decisivo.
Até aqui tomamos conhecimento de quem somos. Tanto nossas virtudes quanto nossos defeitos podem nos assustar. Nossos defeitos nos falam de nossa incapacidade. Nossas virtudes e potencialidades nos falam de nossa responsabilidade.” (Diná P.O.L.Aguiar, p.46)

“Autoaceitação não significa necessariamente gostar do que tomamos conhecimento. Autoaceitação significa reconhecer a existência de um fato. A autoaceitação é a condição  prévia para uma mudança, pois enquanto não aceitarmos como realidade uma conduta, não seremos capazes de modificá-la e teremos grande probabilidade de que a conduta se repita.” (Diná P.O.L.Aguiar, p.48)

“Será a autoaceitação que determinará o sentido a seguir.

Podem surgir 3 caminhos:

1. Não ocorre autoaceitação
O resultado será a negação da realidade.
Viver na fantasia.
Viver inconscientemente.

A pessoa não tem um conceito adequado de si mesmo. Pode ser uma pessoa bela e achar-se feia, pode estar magra e ver-se gorda, pode ser inteligente e crer-se “burra” ou tudo ao contrário, achar-se o máximo.

2. Autoaceitação Negativa

Ocorre o que chamo de “Filosofia da Gabriela: “Eu nasci assim, vou viver assim, vou morrer assim”.

O resultado será: acomodação, frustração, depressão, suicídio físico, emocional, espiritual, profissional.

Como a pessoa acredita que ela é assim e não tem jeito, “pau que nasce torto, não tem jeito, morre torto”, ela entende que não tem porque lutar. Esquece-se que não é um pau, mas um ser humano importante para o seu Criador. Um ser dinâmico, em constante construção.

3. Autoaceitação Positiva
“Toda a verdade passa por três estágios: primeiro é ridicularizada. Segundo enfrenta uma violenta oposição. Finalmente, é aceita como evidente.”  – Arthur Schpenhauer –

Está bem. Este sou eu, mas … … Vou viver Autenticamente.
“… Bem-aventurado aquele que não se condena naquilo que aprova.”                                 (Romanos 14.22) ” (Diná P.O.L.Aguiar, p.48)

“Autenticidade fala de coerência entre o que pensamos, sentimos e o que demonstramos com nossas atitudes e ações.
Ser autêntico é afirmar nossos desejos e necessidades; é falar a verdade sobre o que    pensamos ou sentimos; é permitir que os outros conheçam quem verdadeiramente somos.
… Ser autêntico é não usar máscaras. O que não nos impede de ser discretos ou recatados.
… Quem está preocupado em agradar aos demais, não pode ser autêntico! …

Este sou eu, mas … … Vou viver Responsavelmente.
“Tudo o que te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças…” (Eclesiastes 9.10)

Aqui o Senhor Deus nos ensina que o nosso parâmetro somos nós mesmos. Não temos que realizar igual ou melhor que ninguém, mas a nossa medida é a nossa capacidade.
Viver responsavelmente é buscar realizar o melhor de cada um de nós mesmos.
Isto nos libera de uma carga enorme, pois o nosso melhor pode ser muito inferior que de outras pessoas. Mas ao mesmo tempo nos chama a uma responsabilidade também enorme, pois podemos estar fazendo melhor que a maioria, mas não estarmos fazendo o nosso melhor.” (Diná P.O.L.Aguiar, p.49)

“Nesse processo de construção da autoestima, é necessário que pensemos em termos de ações específicas.
Viver conscientemente, responsavelmente significa saber o que FAZER.
Para crescer precisamos aprender novas condutas.

Como e em quais aspectos atuaríamos de forma diferente?
Viver responsavelmente é parar e pensar:
Muito bem: Este sou eu!
O que não posso mudar?
O que eu posso mudar?

Pois se não estou esperando um milagre ou que outros façam por mim, será necessário uma pergunta inevitável: Como posso construir um futuro diferente desta realidade? …

Segundo James Hunter, “a definição de insanidade é continuar a fazer o que você sempre fez, desejando obter resultados diferentes!” (James C.Hunter . O monge e o executivo, p. 136. Ed.Sextante)” (Diná P.O.L.Aguiar, p.50)

“Hoje eu sou fruto do Passado!

Hoje eu construo meu futuro!

Que Futuro estou construindo hoje?

A melhor coisa que sabemos a respeito do futuro … é que ele vem um dia de cada vez.

“Os dias dos homens estão determinados , contigo está o número de seus meses; puseste-lhe limites, além dos quais não ultrapassará.” (Jó 14.5)

Nossos dias estão contados pelo Criador, não viveremos porque temos saúde, não morreremos porque estamos doente. Como não sabemos quantos anos teremos de vida, é importante que procuremos viver hoje de tal maneira a proporcionarmos qualidade aos nossos anos de vida.

“A tragédia maior não é a morte mas o que deixamos morrer dentro de nós enquanto vivemos.” – Stewart Emery – “ (Vitória no Sofrimento, Diná P.O.L.Aguiar, p.51)

Club Mindset do Relacionamento – um espaço para a construção de Mindset, Auto Estima e Relacionamento.

 

Compartilhe!

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *